9.14.2009

A questão do público.




Vamos falar de público, então.

Primeiro é preciso falar do quesito histórico. Gostaria de obter as médias oficiais do Figueirense antes de 2001, por questões de tempo não farei isso.

Desde 2001 as campanhas do time alvinegro vinham sendo na Série A, ainda por cima eles tiveram bons times. Desde 98 o Avaí luta para chegar lá, em alguns anos com um time ruim, em outros com um pior ainda. Notou a crueldade?

O Avaí, batalhando com times horríveis e orçamento ridículo, ainda aguentou uma média de cerca de 4 mil torcedores, até 2008. Esse ano, nossa média é de quase 11 mil. Mas esses dados ainda são influenciados por 3 detalhes mais sórdidos.

1. Trânsito
- Aqui já poderia parar a discussão: até 2008 o avaiano saía de casa para ver times que não animavam, pegava fila de mais de uma hora, gastava o dia todo para ver um jogo de um time mediano na Série B do Brasileiro. Maior parte das vezes sem a menor esperança de subir.
A última vez em que fui ao Scarpelli foi esse ano, na partida de estreia do Figueirense na Série B (que sádico hahahahah). Fui na torcida local mesmo, junto com o Lucas. Saímos da faculdade dele na UFSC a meia-hora de começar o jogo. Ainda conseguimos tempo para comprar o meu ingresso e, se quisesse, até comer um kalzone. Avaiano, acredite: meia-hora, da UFSC ao Scarpelli - e sobrou tempo.

->
Avaiano contente pelo tempo que levou para chegar no Scarpelli
->


2. Preço do ingresso
- Certo, nós não tivemos 7 anos de Elite para fazer crescer nosso quadro associativo. Aliás, tivemos até motivos para que ele diminuísse. Logo, uma parte dos que vão aos jogos hoje precisam pagar de 50 a 100 reais para ver o Avaí. Para ver o Figueirense naquela ocasião citada anteriormente, paguei 15 reais. Esse ano não tem promoção da Nestlè (chega a ser engraçado dizer isso). Quem quiser se associar ao Avaí ainda vai precisar desembolsar de imediato 3 parcelas, ou então parcelar no cartão. Me diz aí, você usa cartão de crédito?

->
O mesmo avaiano, dessa vez contente pelo preço que pagou para entrar no Scarpelli
->


3. Tamanho do estádio
- Você deve ter pensado: "Calma aí, ô! Isso não tem nada a ver!". Ahhhhh, tem! Pense bem, a lotação máxima da Ressacada esse ano foi de 15.602 pessoas contra o Flamengo. Destaquei o nome do adversário porque ele se auto-explica: a torcida visitante sempre ajuda a lotar estádio. Todos sabemos que a capacidade do Scarpelli é no mínimo 6 mil lugares maior. Logo o Figueirense pode ter jogos com menor público uma ou outra vez, mas assim que houver um jogo importante a média dele irá subir assustadoramente. Por isso seria interessante lidar com isso por outro método estatístico. Não me aterei a fazê-lo, não tenho tempo.


Explanei rapidinho sobre os motivos que vejo para a torcida do Figueirense ocupar mais o estádio, mas não falei das demonstrações de paixão - e isso quase nenhuma estatística mede.

Podemos tranquilamente dizer que o Figueirense nunca botou tanto público nos jogos fora quanto o Avaí esse ano. Também podemos simplesmente deixar claro que a torcida alvinegra nunca colocou 4 mil torcedores num treino, quiçá chegou perto de mil. Aliás, acredita que a foto ao lado é no Couto Pereira?

Por isso, podemos chegar à conclusão: maior torcida? Figueirense, até pode ser que seja, os números estão aí. Mais apaixonada? Avaiana. Mas pode ser o contrário, ou todos as conclusões podem favorecer um time só. Vai da sua paixão.

Fotos: Maurício Vieira e Site oficial do Avaí.

2 comentários:

Bruno Carvalho - Resistência Avaiana disse...

Salve Rafael,

Ótima sacada este teu novo projeto, ás vezes acho que o cara quando nõa bebe pensa melhor... haha

To adicionando lá na Resistência Avaiana.

Abs

Rafael Vidal Eleutério disse...

Grande Bruno!

Seguinte, não conta pra ninguém, não... mas eu só não bebo publicamente. hahaha

Pela reciprocidade, adicionei o Resistência também!

Abraço