12.24.2010

Feliz Natal!




Querido leitor, figueirense, avaiano, ou seja lá pra que time tu torces, o blog Futebol Mané te deseja muita paz e felicidade neste Natal e no ano que está por vir. Nós somos cristãos. Se tu também és, lembre do que esta data realmente significa. És bombardeado todos os dias por anúncios que te desejam paz e felicidade, mas só lembrando o real significado do Natal é que conseguirás alcançar estes desejos.

Mudando um pouco de assunto, quero colocar aqui o link de um post que fiz no fim de dezembro do ano passado: Otimismo. Na época teve avaiano dizendo que acreditava em Papai Noel. HAHAHAHAHAHA! Agora eu também acredito! Hahahahahahahahaha!

12.22.2010

Não paguei





Recebi uma carta do Figueirense que a princípio me deixou todo orgulhoso. Lá dizia que eu fui muito importante para o retorno do clube à série A, que o meu apoio incondicional no decorrer dos dois anos de série B acabou por levar o Figueira ao acesso, etc. Essa carta vinha anexada num boleto, pedindo que eu pagasse espontaneamente a 13ªparcela da mensalidade de sócio.

Na hora eu me lembrei de uns cartões que recebemos todos os natais lá em casa, de uma instituição chamada "Pintores com a boca e com os pés". Essa instituição manda uma série de lindos cartões natalinos, que distribuímos entre os parentes. Um boleto vem anexado dizendo que se quisermos pagar pelos cartões, esse dinheiro seria muito bem vindo para a manutenção da instituição. Ora, esse pagamento não é "espontâneo", porque recebemos os cartões. O sentimento de culpa se não pagássemos seria grande.

Não paguei o boleto do Figueira. Já tenho muitas coisa pra pagar neste fim de ano. Mas, se junto ao boleto eu tivesse recebido um lindo poster de comemoração pelo acesso, ou uma tão prometida revista, ou um CD com um vídeo comemorativo, sei lá... com certeza teria dado um jeito de pagar o tal boleto.

12.16.2010

"Tem gente que faz força pra ser burro."




As notícias sobre o Avaí são tão ruins, de um patamar tão baixo, que chegamos ao ponto de lamentar a saída até mesmo do Rudnei.

Como é muito absurda a nossa situação, deixo com vocês um vídeo que externa parte da minha frustração atual, mas em comum com o Avaí contem somente um fato: persistência no erro.

12.09.2010

Olha a penca!



Ao contrário da penca do pessoal do sul da Ilha, a penca no Scarpelli é de reforços e renovações.

Infelizmente alguns bons jogadores não foram mantidos para o ano que vem, mas a diretoria está fazendo um bom trabalho e o Figueirense até que está conseguindo manter uma boa base.

Em primeiro lugar, renovaram com a peça mais importante do time vencedor de 2010: Márcio Goiano. Depois vieram renovações de peso, como Reinaldo, Túlio, Juninho, Coutinho, Bruno e Helder. Sem contar o Maicon (tem contrato em vigor) o Fernandes e o Wilson, que certamente estarão conosco em 2011.

Agora estão aparecendo reforços interessantes, como o Breitner, o Lenny (bem provável), o Elicarlos, o Édson (zagueiro do Duque de Caxias) e muitos outros por confirmar.

No site do Meu Figueira (link aqui) aquele desenho da setinha verde não para de se repetir. (leia lá mais informações)

Estou gostando muito da atitude da diretoria alvinegra. Lembro-me dos 7 anos em que estivemos na série A. Todo fim de ano era a mesma coisa. Vendia todo mundo e ficava com o resto pro Catarinense (que só vencíamos devido à baixa qualidade do campeonato). No início do Brasileirão iniciavam as contratações e iam tentando arrumar o time durante o ano. Lá pro fim do ano, quando as coisas estavam se ajeitando e tomando forma, desfaziam tudo de novo. Isso me dava nos nervos! Parece que dessa vez está sendo diferente.

Temos tudo pra levar esse Catarinense e iniciar bem a série A.

12.07.2010

As pespectivas para o Avaí.

E agora, José?


Alguns leitores devem saber que passo mais tempo no Twitter do que qualquer coisa relacionada a Internet. O Twitter é, para quem é aficionado por futebol, uma das maiores minas de ouro quando o quesito é informação. A maioria do que rola naquelas bandas, aliás, acaba parando nos blogs.

Pois é, foi coletando informações em todas as mídias sociais que chegamos a alguns pontos de apreensão para a torcida avaiana, mas também algumas sinalizações de que 2011 pode ser um ano mais tranquilo.

Marquinhos, Emerson Nunes, Emerson e Caio podem ficar na Ressacada. Os sinais evidentes da Diretoria, até mesmo nas declarações dadas às rádios, é de que o Avaí pode sim abrir o cofre para segurar os jogadores dessa vez. 

Ao mesmo tempo em que essas sinalizações de efeito moral extremamente positivo são feitas, tão sutilmente que tu podes até mesmo achar que sou um lunático, algumas das evidências do passado recente viraram fato: Moisés Cândido e Luiz Alberto de Oliveira estão fora do Avaí. O Departamento de Futebol, esse que nos fez vitoriosos mesmo com todos os poréns de um clube que luta contra o amadorismo, talvez seja a seara que nos trará mais preocupações até o fim de 2010 - se formos otimistas.

Os nome de Alexandre Espíndola, o mesmo dirigente dos fracassados anos de 2006 e 2007, e Ocimar Bolicenho são os mais fortes até o momento para substituirem Moisés e LA na Coordenação de Futebol. Ambos negaram qualquer contato do Clube. Mas, levando em conta que o Alexandre já faz parte do Avaí, qualquer "não" pode ser interpretado como um "sim". 

Sim, ninguém está apreensivo à toa.

12.06.2010

Redefina "invasão".

Lotar o espaço visitante na capital do Paraná não é mais "invasão", não para a torcida avaiana. Curitiba virou uma extensão da Ressacada!

12.04.2010

Orgulho, sim senhor






Tenho muito orgulho de meu Figueira. Time do povo com quase noventa anos de uma história sofrida e vencedora. Como mostra o vídeo aí de cima, o Figueira fez o gol, o Figueira vencia o jogo, quando o Juiz fez um sinal "mal intrepretado" pelo povão que invadiu o gramado, quando faltavam ainda uns 5 minutos de jogo. O povão invadiu porque é povão, e estava eufórico demais para se controlar. Não invadiu por causa do PPP, ou por causa do Delfim, ou por causa de algum lobby político.

Imaginem o que significaria decretar que o Caxias, e não o Figueira, é que vai subir; mesmo tendo perdido a final do campeonato.

Sim, houve uma pressão obscura por trás dos panos, coisa, infelizmente, absolutamente normal no futebol (não que eu concorde com isso). Mas, se não houvesse essa "pressão", provavelmente a decisão seria a mesma.

O presidente Paraíso foi fazer pressão para defender o clube. Um paralelo nos dias de hoje é a questão do Joinville. O tal do América lá do Amazonas venceu com um jogador irregular em campo. Apesar disso, teve o acesso garantido pela justiça desportiva. Qual o comentário geral que se faz pelas ruas? "Pô, faltou força política pro pessoal de Joinville. Ô federação fraca".

Imaginem então o que acontecia lá nos primórdios do futebol catarinense, quando o time da elite vencia os campeonatos de 1924, 1926, 1927, 1928 e 1930. Quando, com um Ramos governando o Estado, um "governando" a Federação e outro "governando" o clube, o Avaí emplaca um tetra-campeonato (1942, 1943, 1944, 1945), sendo um deles (pelo menos) por decreto.

O Figueirense merecia subir. Tanto é que permaneceu lá em cima por 7 anos. Não foi uma obra forçada e artificial, como os avaianos tentam pintar. E não é um caso desses que vai minar a paixão que a nação alvinegra tem pelo Figueira.

12.03.2010

O primeiro acesso do Figueirense, por Alfredo Santos Loebiling.


Que orgulho.

A questão do público




Já vim aqui reclamar algumas vezes do pequeno público presente nos jogos da dupla da capital. Creio que os motivos variam desde o preço abusivo dos ingressos à proibição de cerveja nos estádios. Cheguei a escrever aqui que infelizmente os números de hoje não são bons como os de antigamente.

Esta semana, porém, um número pôs em cheque esta minha afirmação. Como mostrou o Meu Figueira, este ano o Figueirense teve a melhor média de público de um time catarinense na série B em todos os tempos. Melhor, inclusive, que a vitoriosa campanha de 2001, que contou então com uma média de 8.321 torcedores por jogo.

Vou ser obrigado a mudar as minhas análises. Porque será que a média de público é melhor hoje? As primeiras possíveis explicações que vêm à minha cabeça são: um campeonato de pontos corridos, que distribui melhor a importância dos jogos, sem que hajam grandes picos de importância, como num campeonato de mata-mata; e, quem diria, o preço dos ingressos talvez seja um dos culpados. Isso porque o preço proibitivo força o torcedor a se associar.

Bom, mas o que esses números provam mesmo é o tamanho da nossa força. Côsa linda!

Foto xupinhada do Meu Figueira
.

12.02.2010

A nossa força


No início desta semana, não pude deixar de notar o grande número de cidadãos trajados com as cores dos nossos times manezinhos. Com as recentes conquistas, muitos são aqueles que tiraram as camisas do armário e as exibem por aí, orgulhosos. Na segunda-feira, no período da tarde, tive que fazer uma caminhada pelas principais ruas da bairro do Passa-Vinte e do Centro, aqui em Palhoça. Decidi contar todas as camisas de clubes que vi pelo caminho. Em aproximadamente 10 minutos contabilizei 26 camisas, sendo:
1 - Flamengo
1 - Grêmio
10 - Avaí
14 - Figueirense.
É incrível a nossa força! Infelizmente, ela não é suficientemente bem aproveitada né?

Os dois refrões das nossas torcidas cabem perfeitamente aqui:
Esse Avaí faz côsa!
A força que ela tem ninguém explica!