12.03.2009

Hora ufanista




Após uma longa reunião, o Conselho Deliberativo do Futebol Mané decidiu por unanimidade frisar e ressaltar as seguintes opiniões:

Vivas à decisão do Conselho Deliberativo do Figueirense Futebol Clube que, em total consonância com a torcida, rejeitou a probosta (quis escrever assim mesmo) apresentada pelos lobos capitalistas empresários da Figueirense Participações S/A. Não nos furtamos a relembrar os feitos e méritos que a parceria trouxe ao alvinegro, e é justamente por isso que não podemos concordar com a nova probosta, porque simplesmente não haveria mais "parceria" nenhuma se ela fosse assinada. Conceito de parceria: "Relação de colaboração entre duas ou mais pessoas com vista à realização de um objetivo comum." No caso da nova probosta, apenas um intere$$e seria contemplado. Isso não é parceria nem aqui nem na China.

Vivas ao Figueirense, ao Avaí, e ao futebol mané. Vivas à rivalidade sadia e revigorante, que há nove décadas promove e alavanca o moral do manezinho. Vivas a esses clubes que são muito mais do que meros clubes de futebol. Eles são o pouco que resta de uma outrora pacata e virgem Florianópolis. São um símbolo de uma Ilha que nunca mais será a mesma, que não voltará mais. Eles são resquícios que se mantém fortes apesar de todas as mudanças no entorno. Eles precisam ser respeitados e devidamente valorizados, não só como patrimônios históricos, mas como partes fortemente integradas e profundamente arraigadas da cultura regional.

Vivas ao ufanismo exagerado, ao nacionalismo descomedido, à paixão excessiva e inexplicável que trás lágrimas aos olhos nas ocasiões mais tristes, mas provoca a mesma reação, só que ainda mais intensa, nas horas mais alegres.

Vivas ao horário de almoço, que me fez parar de escrever e parar com essa encheção de linguíça. Valeu meu querido! Se estás lendo isso aqui é porque compartilhas da nossa paixão, que têm cores diferentes, mas no fundo têm o mesmo sentido!

Um comentário:

Rafael Vidal Eleutério disse...

po, a essa reunião eu faltei... mas tudo bem.